• AR2TI

Números destacam elevado risco cibernético do Brasil.

O Brasil sofreu mais de 88,5 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos em 2021, um aumento de mais de 950% com relação a 2020 (com 8,5 bi), segundo a Fortinet.


O laboratório FortiGuard Labs publicou os números finais de ameaças para a América Latina e Caribe coletados na rede de dispositivos protegida pela Fortinet. O tamanho da rede não é informado pela empresa mas foram contabilizadas 88,5 bilhões de tentativas de ataques. Arturo Torres, estrategista de segurança do FortiGuard Labs, explica as tentativas: “Chamamos tentativas de ataques aquelas detectadas por meio do uso de mecanismos de inspeção AntiMalware (que inspecionam arquivos de qualquer extensão), Sistemas de Prevenção de Intrusão (para fluxos maliciosos, solicitações de tráfego e cargas úteis) e Antibotnet (por meio do monitoramento de atividades para servidores catalogados como comando e controle) incluídos em nossos sensores”.


Estes foram os números da América Latina:

O Brasil sofreu mais de 88,5 bilhões de tentativas de ataques cibernéticos em 2021, um aumento de mais de 950% com relação a 2020 (com 8,5 bi), segundo a Fortinet® (NASDAQ: FTNT), líder global em soluções amplas, integradas e automatizadas de segurança cibernética. Com 56% de todos os dispositivos de cibersegurança instalados no Brasil e 53% na América Latina*, a Fortinet possui a maior visibilidade de ameaças cibernéticas do setor na região.


De acordo com os dados levantados pelo FortiGuard Labs, laboratório de inteligência de ameaças da empresa, o Brasil ocupou o segundo lugar em número de ataques na América Latina e Caribe, atrás apenas do México (com 156 bi) e na frente de Peru (11,5 bi) e Colômbia (11,2 bi). A alta nos números foi constante durante o ano e ocorreu em toda a região, que chegou a registrar 289 bilhões de ataques no total, um crescimento de mais de 600% com relação ao ano anterior (com 41 bi).


Além das 88,5 bilhões de tentativas de ataques, a Fortinet destaca que o Brasil sofreu outras 500 bilhões de tentativas de ataques de DDoS (Distributed Denial of Service), o maior da história. Ocorrido em julho de 2021, o ataque surgiu de uma variante da botnet Mirai – ameaça dirigida a dispositivos de IoT –, que lançou mais de uma dúzia de ataques DDoS, que superaram várias vezes 1 Tbps, chegando a 1,2 Tbps.


“Quase 10% desse ataque global foi direcionado ao Brasil, de acordo com nossos sensores, o que fez do país o principal alvo e trouxe esses números surpreendentes”, explica Arturo Torres, estrategista de segurança cibernética do FortiGuard Labs da Fortinet para América Latina e Caribe. “Foi por essa razão que separamos esse número dos demais, por se tratar de um ataque que fugiu totalmente dos padrões em termos de quantidade e localização.”


A pesquisa está em hxxps://www.fortiguardthreatinsider.com/pt/bulletin/Q4-2021

Cisco Advisor, Números destacam elevado risco cibernético do Brasil

Fev 11, 2022.


13 visualizações0 comentário